PIX internacional ou eFX: entenda as novas regras de pagamentos e transferências internacionais

Um assunto de alta relevância para quem faz transferências internacionais é procurar os melhores meios de efetivá-la. Por isso, as novas regras recentes em relação ao PIX internacional e ao eFX são animadoras para aqueles que pretendem fazer transações para o exterior.

A possibilidade de implantação do PIX internacional também tem sido alvo de discussão nos últimos tempos. Assim como as mudanças que os pagamentos internacionais sofreram.

No presente texto, vamos te apresentar tudo concernente às novas regras de pagamentos e transferências internacionais. Especialmente no que diz respeito ao PIX internacional e ao eFX. Quer saber mais sobre esse assunto? Siga com a leitura para ler sobre esse tema.

O que é eFX?

Antes de mais nada, é necessário explicar o que é o serviço eFX, ou apenas eFX. Em consonância com as novas tecnologias, o Banco Central do Brasil tem buscado cada vez mais regulamentar os pagamentos internacionais. A nomenclatura eFX é uma sigla que significa "Electronic Foreign Exchange", ou transferência eletrônica estrangeira, em tradução livre.

Realizar transferências de recursos no âmbito internacional nunca foi a tarefa mais fácil. Sempre houve burocracia e diversos passos até que se chegasse àquele objetivo. Os serviços de pagamento e de transferência internacional no mercado evoluíram, e o Banco Central vem se modernizando sempre — sobretudo agora com o serviço eFX.

A Resolução DC/BACEN nº 137, de 09/09/2021, criou a plataforma eFX. Esse serviço permite a realização de transferências nacionais e internacionais de forma digital. E com um limite de até US$ 10 mil dólares nas transações.

Quais são as novas regras de pagamentos e transferências internacionais?

Agora, portanto, vamos falar das tais novas regras que passaram a valer recentemente. Essas regras, em vigor desde setembro de 2021, visam se alinhar com os modelos de negócios mais recentes no contexto de pagamentos internacionais.

Confira, abaixo, as novas regras e o que mudou com a Resolução do BC.

Instituições de pagamento autorizadas pelo Banco Central podem operar eletronicamente no mercado de câmbio;

Instituições não bancárias que podem atuar no mercado de câmbio podem acertar suas contas realizadas no mercado de câmbio com suas contas em moeda estrangeira no exterior. (Incluem-se nesse contexto as sociedades corretoras e distribuidoras de títulos e valores mobiliários, assim como as corretoras de câmbio);

exportadores nacionais podem receber através de instituição financeira fora do país, desde que esta tenha autorização para operar no mercado de câmbio;

fica autorizado a entrega ou o recebimento sem valor máximo, em conta de instituições autorizadas pelo Banco Central;

autorizada a titulação de contas de pagamento por indivíduos residentes ou que tenham sede de firma no exterior.

Essas novas regras fazem com que seja mais fácil uma futura implantação do PIX internacional. Esse tema vai ser tratado nos tópicos seguintes.

O que é o PIX internacional?

Vamos falar um pouco sobre o PIX internacional. Como mencionamos no começo do texto, o PIX é uma forma de pagamento através do meio digital.

Ao usar o PIX, é possível fazer transações entre contas com segurança, a qualquer hora do dia, gratuitamente. Sua agilidade, ausência de custos e praticidade já asseguraram diversos adeptos por todo Brasil.

Por sua vez, o PIX internacional é uma ferramenta que ainda está em estudo pelo Banco Central do Brasil. Toda a premissa do PIX internacional é a mesma do PIX: permitir a transferência instantânea de dinheiro. Só que, dessa vez, para fora do país.

O que mudaria com o PIX internacional?

Agora que você já sabe que o PIX internacional é uma ideia que está sendo cogitada e em estudos pelo Banco Central, vamos falar um pouco sobre o que mudaria com a sua criação.

O custo das transferências

A primeira das vantagens que, com certeza, o PIX internacional vai trazer é a melhoria nos custos nos pagamentos e transações internacionais. No momento, infelizmente ainda altas taxas de câmbio praticadas.

Isso faz com que, entre outros, as remessas menores fiquem inviabilizadas. Além disso, há uma diversidade de tarifas a serem pagas. Por exemplo, o IOF (Imposto sobre Operações Financeiras), taxas ao banco, o valor sobre a operação, o IRRF (Imposto de Renda Retido na Fonte), entre outras.

A rapidez das transferências

Entre bancos internacionais, sabemos que uma transferência para o exterior pode demorar dias para ser efetivada. O tempo médio de processamento pode levar até três dias úteis. Isso é um problema, de forma especial, para quem precisa do dinheiro urgentemente.

Enviar dinheiro para alguém no exterior geralmente é um processo demorado, e com o PIX internacional isso pode mudar. Vem a se tornar, além de mais prático e intuitivo, mais rápido. Sem depender de planejamentos com antecedência ou de horários de funcionamento de agências.

A maior possibilidade de valores

Quem nunca mandou um PIX de um valor baixo? Exatamente por conta da facilidade oferecida pela ferramenta, é possível mandar até mesmo centavos através desse meio.

Como já mencionamos, no meio comum de transferências internacionais, os custos por transação podem fazer com que as transferências de valores mais baixos sejam pouco viáveis. Com uma possível implantação do PIX internacional, isso não seria mais um problema.

O menor número de burocracias

Mandar dinheiro para o exterior é um processo burocrático. Exige-se, entre outros requisitos para a efetivação da transferência, os dados das partes, juntamente com o código SWIFT e IBAN das instituições bancárias. Além, é claro, de dever ser observado o limite mínimo e máximo imposto pelas instituições financeiras.

A expectativa é que o PIX internacional diminua essas burocracias, e faça com que enviar e receber dinheiro seja algo mais fácil e intuitivo. Fatores como taxa de câmbio ainda são incertos. Mas a melhoria em diversos fatores é esperada.

O serviço eFX é uma ferramenta muito útil e facilitadora para quem deseja enviar dinheiro para o exterior. E, entre as mudanças que aconteceram no mês de setembro, a possibilidade da implantação do PIX internacional é animadora para quem utiliza de transações para o exterior.

Você gostou de saber mais sobre as regras do PIX internacional e eFX? Esperamos que o nosso texto tenha esclarecido as suas dúvidas sobre esse tema. E caso você precise de ajuda para efetivar transferências internacionais, conte com o Melhor Câmbio! Entre em contato conosco e saiba tudo sobre os serviços que temos para te oferecer!

 

Corretora ou Correspondente?
Conheça as vantagens de ser um parceiro do Melhor Câmbio
+ de 1 milhão usuários únicos por mês
+ de 1.600 parceiros
+R$ 1 milhão negociados por dia
Melhore sua
presença digital
Aumente a exposição
da sua marca
Suas taxas atualizadas
em tempo real
Aumente os
seus resultados
Conecte-se a milhares
de usuários
Negocie online através
de um broker
Seja nosso parceiro
Carregue o Melhor Câmbio no bolso com você!
Baixe o App do Melhor Câmbio e monitore a cotação de 22 moedas em tempo real. Crie alertas de câmbio, faça remessas internacionais, consulte commodities, índices econômicos e muito mais.
Google Play Apple Store
Dúvidas e Sugestões
Entre tempo e dinheiro, economize os dois!
Rua Madressilva, 536 - Esplanada
Belo Horizonte, MG - CEP 30280-180
Baixe grátis o aplicativo:
Apple Store Google Play
Correspondente cambial credenciado no Banco Central do Brasil pelas instituições financeiras:
CONHEÇA AS CIDADES ONDE VOCÊ PODE COMPRAR MOEDA ESTRANGEIRA
Melhor Câmbio, feito com em Belo Horizonte, Brasil
© 2022 – MelhorCambio.com Ltda – CNPJ: 23.860.558/001-42
[email protected]